5 (100%) 1 vote

Apesar de realizar ações de controle e fiscalização, o Brasil ainda ocupa uma preocupante posição no ranking mundial de acidentes de trabalho, perdendo apenas para China, Estados Unidos e Rússia, segundo dados divulgados recentemente pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). O dia 27 de julho próximo passado marcou a data do Dia Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho. Com pouco a ser comemorado, pergunta-se: o que há de inovação tecnológica sendo estudada nesta área, capaz de reduzir esses números alarmantes?

MAIS ALÉM DOS PLANOS DE BEM-ESTAR

Muitas empresas optam por implementar planos de bem-estar para incentivar o trabalho, afinal de contas uma força laboral saudável e ativa pode levar ao aumento da produtividade, além de reduzir as ausências por motivo de doença. Isso, entretanto, mostrou ser insuficiente para reduzir os acidentes de trabalho, e a tecnologia surge em auxílio das melhorias na segurança do trabalhador, primeiramente destinada a prevenir lesões, para em seguida mitigar acidentes potencialmente graves.

TENDÊNCIAS TECNOLÓGICAS

No ano de 2019, algumas tendências de segurança e tecnologia no trabalho estão se firmando:

Wearables – com a crescente popularização dos smartwatches, a tecnologia wearable e a Internet das Coisas (IoT) surgem para melhorar a saúde e a segurança no local de trabalho.Atualmente, dispositivos portáteis já podem coletar dados como frequência cardíaca, calorias queimadas, etapas percorridas e pressão sanguínea, e wearables de segurança mais avançados estão sendo desenvolvidos para monitorar o teor alcoólico e os níveis de oxigênio no sangue do usuário, além de sudorese, sinais vitais e mudanças nas condições ambientais. Isso tudo ajudará a monitorar a fadiga e o estado de alerta dos trabalhadores.

Capacetes e óculos inteligentes – além de serem construídos para ajudar a proteger os trabalhadores, esses equipamentos têm uma variedade de sensores que monitoram parâmetros como temperatura, níveis de oxigênio no sangue, atividade cerebral e frequência cardíaca do usuário. Os dados são rastreados e armazenados em tempo real, fornecendo ao gerenciamento dados importantes para informá-los das situações em que um funcionário possa estar muito cansado ou não suficientemente focado para executar as tarefas com segurança.

Veículos autônomos – a sua implementação em larga escala reduzirá significativamente as taxas de acidentes com veículos e fatalidades, o que pode ser uma das soluções para evitar incidentes causados pela condução distraída no trabalho.

Exoesqueletos – os trabalhadores podem usá-los para transferir peso de tarefas repetitivas e usar menos energia ao mover objetos. O resultado é um risco reduzido de lesões, bem como maior força, destreza e produtividade.

Realidade virtual – ao replicar os ambientes físicos, esta tecnologia apresenta enorme potencial de treinamento para os funcionários, permitindo que sejam simuladas tarefas perigosas e se identifiquem as necessidades de segurança.

Robôs e drones – embora sejam opções para empresas com maior orçamento, câmeras e software de monitoramento mostram ser opções mais econômicas e eficazes. Esses processos tecnológicos podem reduzir a probabilidade de acidentes no local de trabalho, potencialmente economizando capital significativo para as empresas a longo prazo.

Adentra-se uma nova era de tecnologia de segurança que terá a capacidade de frear a tendência preocupante de acidentes de trabalho. Juntamente com a conscientização e campanhas educativas, cabe agora aos proprietários e funcionários dar o próximo passo para um futuro mais seguro.

Em recente reportagem, o engenheiro Kassio Henrique apresentou algumas políticas para garantir a segurança de nossos trabalhadores nos empreendimentos da Supera Engenharia. Acesse o link para assisti-la: http://supera.eng.br/noticias/seguranca-no-trabalho-cuidado-constante/